domingo, 29 de abril de 2007

Reflexões

No final do ano de 1997, comprei um computador, com 32 MB de memória, mas não fiquem com pena, no final de "vida" ele tinha 64 . Minhas filhas, faziam o segundo grau e precisavam usar para escrever seus textos. O computador ficou "parado", coberto com um pano cinza durante dois meses. Eu olhava para ele e pensava " vou te ligar e tentar".
Resolvi fazer um curso no SENAC, Internet. No curso fazia-se a conexão. Quando entrávamos em qualquer página, caía. Durante 2 semanas ficamos nisso, lendo a página que havia entrado.Bem, curso terminado, próximo passo, colocar Internet no meu computador novinho.
Foi o que fiz, durante uma semana não consegui nada, um dia eu estava na escola e minha filha ligou:"mãe, advinha o que eu estou fazendo? Navegando na Internet.
Entrei naquele dia, nunca mais sai.


Lendo os textos reportei-me a essa vivência, consegui aprender, compreender, construí meu conhecimento, no livro do Professor Celso Vasconcellos(1989, pág. 49) saliento:

"a) Condições necessárias para a construção do conhecimento:-capacidade sensorial e motora+Capacidade de operar mentalmente (trabalhar com as representações, bem como transformá-las, (re)criá-las.

-disponibilidade de representações metais prévias relativas ao objeto: para chegar a um conhecimento novo, o sujeito precisa recorrer a conhecimentos anteriores a ele relacionados;precisa ter estrutura de assimilação para aquele objeto. Não se trata de "pré-requisitos naquele sentido mecânico e linear/unilateral mas de trilhas epistemológicas, "redes" que podem seguir na construção do novo conhecimento.-para isso o sujeito precisa "querer", sentir necessidade.

Epistemologicamente, esse querer implica no rastreamento e no trazer a nível consciente/ pré consciente as representações mentais que o sujeito tem e que, de alguma forma, estão relacionadas ao objeto de estudo.b) Não se cria a partir do nada; ninguém conhece algo totalmente novo (cf. Piaget)(...) O conhecimento novo se constrói no sujeito a partir de seu conhecimento anterior/prévio/antigo (seja para ampliar ou negar, superando). Começamos a conhecer "deformando".


Foi um longo aprendizado, que continua. Desde o início do curso de Especialização, estou aprendendo a usar Blogs, onde preciso aprender a escrever e, vocês sabem que, conforme diz Pedro Demo em Educar pela Pesquisa, pág 30: A maioria dos professores de matemática não tem idéia de pesquisa e formulação própria, até porque foram literalmente treinados a dominar conteúdos sem qualquer questionamento reconstrutivo.
Sou professora de matemática.
Mas já consigo, agora, fazer um "ensaio de texto", como esse. E através dele comunicar-me com outras pessoas que nos auxiliam em nossa construção.

Um comentário:

Su disse...

Teresinha

Escrever, sobretudo, escrever sobre a nossa prática e vivências é um exercício que se aprende com o tempo. Um blog permite registrar muitas destas vivências e guardar um pouco das coisas que nos entusiasmam ou desafiam naquele momento. :)
Teu relato me fez lembrar o meu começo na internet :))